Jornalistas de vários canais de imprensa de todo o mundo já estão sendo convidados pela Sony Music para ouvir e escrever sobre o novo álbum de estúdio do AC/DC, “Rock or Bust”.

O jormal alemão Bild escutou o álbum e escreveu um resumo sobre as novas músicas. Leia.

AC/DC - Rock or Bust. Capa.

AC/DC – Rock or Bust. Capa.

“AC/DC ainda consegue fazer rock?”

A maior banda de rock do mundo finalmente está de volta. No dia 28 de novembro [Austrália] o AC/DC vai lançar o seu mais novo álbum de estúdio, “Rock or Bust”. Após 6 anos do lançamento do álbum “Black Ice”, Angus Young (59 anos) e Brian Johnson (67 anos) vão se preparar para mais um lançamento e turnê. Nós da revista escutamos o álbum em primeira mão.

Começamos escutando a música de abertura do álbum. Um primeiro riff típico do AC/DC da música título do álbum, “Rock or Bust”. Pesada, lenta – apenas AC/DC. Se você não conhece esse som, provavelmente você pularia e gritaria: “genial!”. Tomamos um pouco de café e esperamos as outras surpresas.

Próxima música. “Play Ball”. Já a conhecemos. O refrão é bastante simples: “Le’ts Play Ball”. Perfeita para a nova temporada de baseball nos EUA.

Rock The Blues Away” – Soa como o nome promete: blues! Essa música poderia ser uma dos Stones. Brian Johnson está soando como uma mulher velha. É a melhor música até agora. E ela tem um solo assim como em todas as músicas.

Miss Adventure” – Música de cerveja! Simples, mas você não consegue deixar os pés parados – sim, você pode dizer isso em todas as músicas do AC/DC -, o cara que estava ao meu lado também. Você consegue continuar cantando mesmo após a décima cerveja.

A maior surpresa até agora é que não há nenhuma música rápida. Midtempo [nem lenta e nem rápida] em todas elas. A mesma coisa com “Dogs of War”. Ela soa como “Moneytalks” – o refrão lembra a música “Balls to the Wall” do Accept.

Got Some Rock & Roll Thunder” – faz você querer aplaudir o tempo todo. Fantástica música pra dançar.

Hard Times” – Blues pesado. Harmônico. Solo interessante.

Com “Baptism By Fire” o ritmo finalmente esquenta. Uma música rápida. Faz você querer acordar. Música hit! O cara ao lado pergunta: “Isso leva 6 anos pra ser escrito?. Boa pergunta.

Rock The House” – Sem novidades. Lenta. Blues. Riff poderoso.

Sweet Candy” – Lenta. Blues. E tem um solo bacana.

Emission Control” – Riff dos velhos tempos – fantástico. E um ponte lenta.

Conclusão

Como sempre, riffs poderosos (AC/DC é muito bom em escrever os melhores riffs), estruturas musicais típicas do AC/DC. Rock, blues, e cheira a metal pesado. O mesmo você pode dizer dos 14 álbuns anteriores. Ah, e cheira à cerveja e rádio!

Fonte: Bild.de

Comentários

Comentários