O aparição de Phil Rudd no tribunal hoje foi breve – e quase não aconteceu. O baterista do AC/DC chegou 15 minutos atrasado na Suprema Corte em Tauranga, Nova Zelândia, para julgamento das acusações que responde.

O juiz chegou a pedir a expedição de um mandado de prisão caso Phil não comparecesse à corte.

Phil Rudd no julgamento de hoje na Nova Zelândia.

Phil Rudd no julgamento de hoje na Nova Zelândia.

O baterista apareceu em cerca de 5 minutos depois de o juiz da Suprema Corte em Tauranga emitir o mandado de prisão.

Rudd está respondendo acusações por porte de drogas e ameaça de morte. A acusação de planejar duplo assassinato foi retirada pelo procurador no começo desse mês.

Phil não entrou com nenhuma apelação contra as acusações de ameaça de morte, porte de maconha e metanfetamina. O juiz da Suprema Corte transferiu o caso para o Tribunal Regional de Tauranga [significa que as acusações não são importantes para serem julgadas pela Suprema Corte].

Rudd está livre sob fiança, e vai voltar ao Tribunal no dia 02 de dezembro. Ele apareceu na corte pela primeira vez no dia 07 de novembro depois que a polícia local o prendeu em sua casa em Tauranga.

No dia seguinte, seu advogado, Paul Mabey QC, contou para a mídia que a acusação de planejar duplo assassinato havia sido retirada pelo procurador-geral, que fez a revisão no boletim policial, e concluiu que não havia evidências suficientes que justiçasse essa acusação.

Seu futuro no AC/DC é incerto.

Phil Rudd com seus seguranças saindo do tribunal

Phil Rudd com seus seguranças saindo do tribunal

Phil Rudd deixando o tribunal em seu carro

Phil Rudd deixando o tribunal em seu carro

Fonte: NZHerald

Comentários

Comentários