Em dezembro de 2009, durante a monstruosa turnê mundial “Black Ice”, o AC/DC voltou para a Argentina pela primeira vez em 13 anos, tocando três noites em um estádio de futebol em Buenos Aires para 200 mil fanáticos. O novo vídeo ao vivo, “AC/DC: Live at the River Plate” (DVD e Blu-ray), documenta aquelas épicas apresentações.

A revista Rolling Stone encontrou com o vocalista Brian Johnson e o guitarrista Angus Young – passeando e fumando por Londres na noite antes da estréia do DVD – para conversar sobre o filme épico, os perigos de fazer uma turnê aos 60, strippers e chá de ervas.
Você ainda faz o mesmo esforço físico no palco como você costumava fazer?
 
Brian Johnson: Você vai nos ver dando o nosso máximo na Argentina. Mesmo estando cansado ou pensando no que pode acontecer no palco, você chega lá e algo acontece. Minha regra é que se você não está suando quando você sai do palco, alguma coisa está errada.
 
A pior parte é quando Angus tem que fazer alguma coisa e fico lá de pé e o ar frio atinge o suor e fico tremendo. Mas esta é a última vez que aqueles fãs vão nos ver até a próxima vez. Tem que ser bom.
Angus Young: Os fãs querem ver que você ainda pode tocar. Eles não querem dizer: “Esses caras costumavam ser bons.”
Fazer turnê ainda dá aquela mesma emoção depois de décadas fazendo shows?
 
BJ: Bem … se alguém sair de um palco com aqueles e disser que não está animado com milhares de fãs cantando, eles estarão mentindo. Isso nunca fica ultrapassado, é a resposta. E isso tudo está no DVD. Nós nunca bebemos antes de um show, porque o show tem que ser bom. Aqueles fãs estavam tão loucos quanto já foram. Aconteceu o mesmo em todas as partes do mundo – na Finlândia, entramos as nove, não, dez da noite, ainda havia luz e eles não se incomodaram. E não importou, porque quando saimos do palco à meia-noite, o sol ainda estava lá.
 
Me conte alguma coisa suja que você testemunhou na vida na estrada.
 
AY: Bem, você é jovem e você participa de algumas aventuras, mas são as pessoas ao seu redor que trazer tudo. Na Austrália, no início tínhamos essas meninas que nos acompanhavam. Me lembro de uma garota em uma roupa de colegial por causa da minha roupa, ela era uma stripper, tinha uma dessas brinquedos sexuais e ela fazia um show com eles. Fazia o show dela.
BJ: Safada.
Quando algumas bandas envelhecem, tudo é chá de ervas nos bastidores. Foi assim na Argentina?
 
BJ: Chá de ervas, porra! Vamos apenas dizer que não tinha o maldito chá de ervas.
AY: Ninguém iria acreditar em mim se eu lhes dissesse.
Quando vocês pensam em parar e se aposentar multimilionários?
 
AY: Você só continua até quando acha que você consegue. E esperando que outras pessoas gostem disso também.
BJ: Quando o animal não precisar comer mais. [Faz um barulho de acorde de guitarra.] Quando não se sentir mais assim! [Dá um daqueles gritos agudos, e pula da cadeira.] 
Fonte: Rolling Stone.com

Comentários

Comentários